Vai viajar para os EUA? Confira 6 dicas para um passeio tranquilo!

Quem nunca sonhou em viajar para os EUA? Seja para conferir de pertinho a Estátua da Liberdade, em Nova York, curtir as aventuras da Disney World, em Orlando ou, ainda, ver onde vivem as estrelas de Hollywood, na Califórnia. Passear na terra do tio Sam é tudo de bom!

Porém, mais do que ter certeza de que estará tudo certo com o visto exigido para visitar os Estados Unidos, é preciso conhecer bem a moeda, o câmbio e o clima do país. Além disso, entender o padrão de tomadas norte-americano, entre outros detalhes, fará com que suas férias sejam aproveitadas sem preocupações.

Neste artigo, vamos apresentar 6 dicas para que a sua viagem para os EUA seja repleta de diversão e alegria. Continue com a gente!

1. Estudar a moeda e o câmbio

Quem assiste a filmes e séries com frequência ou lê as notícias de economia sabe que a moeda americana, o dólar, está sempre oscilando, certo? Dependendo do momento da economia em que você fará a viagem, os dólares podem estar mais caros ou mais baratos. Seu valor submete-se ao câmbio, que varia bastante no dia a dia.

Uma dica: enquanto a viagem é planejada, você já pode começar a comprar alguns dólares mês a mês. Assim, eventuais perdas cambiais são minimizadas. Inclusive, no Brasil, há uma infinidade de casas de câmbio que negociam dólares, porém, há uma diversidade de preços bastante grande entre elas.

Não deixe para comprar todos os dólares de uma vez, sob risco de gastar mais do que o necessário, caso essa compra seja feita em um momento de alta cambial. Outra dica importante: busque agências que vendem dólares com entrega em casa. Dessa forma, você não precisa se arriscar carregando as notas pelas ruas, onde há a probabilidade de sofrer assaltos.

2. Verificar as vacinas necessárias

Viajar para os EUA é bem tranquilo em relação a vacinas, já que o país não exige que os visitantes sejam imunizados. No entanto, como o voo sai do Brasil e há chances de passar por conexões em países como o Panamá, onde há algumas vacinas obrigatórias, é importante ficar atento. Verifique onde a conexão do seu voo será feita, para garantir que você estará em dia com as demandas locais relacionadas à saúde.

3. Conhecer as opções de chip de celular

Em um mundo cada vez mais conectado, não é recomendado abrir mão do acesso estável e seguro à internet durante uma viagem. Afinal, estar disponível para se comunicar com familiares, amigos ou colegas de trabalho pode ser importante durante a estadia no exterior.

É claro que, em um país altamente conectado como os EUA, não faltam redes wi-fi disponíveis para serem usadas na maior parte dos lugares. Contudo, se você não pode abrir mão de estar conectado o tempo todo, é bom não precisar depender dos outros. Nesse caso, há basicamente duas opções:

  • habilitar seu chip, ainda no Brasil, para que seja usado internacionalmente;
  • comprar um chip de uma operadora americana nos Estados Unidos.

Embora, na primeira opção, você já possa sair do Brasil habilitado para usar a internet e se comunicar com as pessoas, em geral, a segunda opção é mais econômica. Isso porque, ao comprar um chip norte-americano, você terá um número local e pagará os mesmos valores que um nativo investiria em um plano de telefonia móvel.

Com o plano brasileiro, no entanto, é provável que você precise arcar com custos de roaming internacional, seja para usar a internet ou para fazer ligações. Por isso, verifique os preços e condições com sua operadora antes de tomar essa decisão.

4. Informar-se sobre o clima

O clima nos Estados Unidos pode variar bastante. Assim como o Brasil, os EUA têm um território bastante extenso, o que ocasiona variações climáticas significativas.

Enquanto, na Flórida, o sol brilha e as temperaturas são altas durante praticamente o ano inteiro, subindo um pouco mais pela costa leste — próximo à Nova York e Boston — a situação muda bastante. Podem ser registradas temperaturas negativas durante o inverno nessas regiões. Da mesma forma, enquanto na Califórnia o clima é quente durante a maior parte do tempo, mais ao norte — na região de Seattle — mesmo no verão, as temperaturas podem cair bastante.

Verifique as regiões que você pretende visitar e as estações do ano em que o passeio vai se realizar. Também não esqueça que, como os EUA ficam no hemisfério norte, enquanto aqui é verão, lá é inverno, e vice-versa.

5. Ficar atento aos padrões de tomadas

Em todo o território norte-americano, o padrão de voltagem é de 110V. Para operar equipamentos em 220V, é necessário o uso de um transformador. Além disso, o formato dos pinos dos plugues americanos é completamente diferente dos brasileiros. Logo, não tem jeito: é preciso levar um adaptador para tomadas americanas de casa ou, se preferir, comprar um quando chegar lá.

6. Não se esquecer do seguro viagem

Fazer um seguro viagem é sempre importante, afinal, como garantir que não ocorrerá nenhum problema com a bagagem, como perda, furto ou extravio? Além disso, garantir atendimento de saúde também é fundamental, especialmente para viajar para os EUA. Isso porque lá não existe um sistema de saúde pública, como no Brasil. Qualquer custo médico — seja de remédios, consultas, internações ou cirurgias — tem um valor extremamente alto nos Estados Unidos.

Apesar de as chances de que algo ruim ocorra sejam pequenas, nunca é demais estar seguro de que há cobertura para o caso de o pior acontecer durante a viagem. Concorda?

Essas são recomendações básicas para quem quer visitar os EUA, mas há muito mais que você pode fazer para ter uma experiência completa, como: estudar inglês antes de viajar; aprender a respeito da culinária local; entender como se deslocar dentro do país; checar quais impostos incidem sobre as compras de produtos que serão trazidos para o Brasil, entre outros.

Já conhece o Porto Seguro Viagem?

Com ele, você tem atendimento em português, 24h por dia, além de desconto em hotéis para pets.

Faça uma cotação »