Seguro para celular? Entenda se vale a pena contratar!

É bem difícil, hoje em dia, não esbarrar em alguém mexendo no celular, não é mesmo? Não é à toa que no Brasil há 230 milhões de celulares ativos. Mesmo que você não tenha um smartphone caríssimo, é importante tomar cuidado com o seu aparelho e se precaver contra certos infortúnios que possam ocorrer. Para se proteger de acidentes e imprevistos, a melhor solução é contratar um seguro para celular.

O crescimento dos preços dos dispositivos e a escalada dos roubos são dois fatores que acabam levando muitas pessoas a cogitarem um seguro para os seus aparelhos. Porém, é preciso ter calma na hora de fechar o contrato, pois é importante ficar atento a certos detalhes que geralmente passam batidos.

Continue conosco e saiba como funciona o seguro para celular, quais são as coberturas e o que levar em conta na hora de contratar. Boa leitura!

Como funciona o seguro para celular?

Já imaginou se o seu celular for roubado? O que fazer em uma situação dessa? Nessas horas, contar com um bom seguro para o seu aparelho faz toda a diferença. Afinal, além de roubos, o seu celular está sujeito, ainda, a outros riscos, como oxidação e quebras acidentais, por exemplo.

Mas, afinal, como esse serviço funciona? Qual é a finalidade do seguro para celular? Além da residência e do automóvel, você também pode inserir o celular no seguro. Essa é, sem dúvidas, uma medida eficaz para que você evite uma série de aborrecimentos, principalmente se o seu celular custou alguns milhares de reais.

O seguro para celular é uma opção totalmente viável se você deseja proteger o seu aparelho e evitar prejuízos. Geralmente, as coberturas de seguro para celular incluem roubo e furto — lembrando que é preciso apresentar a nota fiscal e o boletim de ocorrência —, oxidação, ou seja, um problema que acontece quando algum líquido é derramado sobre o celular ou então por exposição ao vapor ou à maresia, quebra acidental, incluindo descargas elétricas, quebra da tela e demais riscos que não sejam causados por negligência.

Quais são as coberturas do seguro para celular?

O celular é o nosso meio de comunicação com todo o mundo, o nosso verdadeiro companheiro de todas as horas, não é mesmo? Com o seguro, você não precisa se preocupar, pois não vai ficar sem o aparelho caso algo aconteça.

Você protege o seu dispositivo em todo o país e, se desejar, pode ainda contratar a cobertura de garantia internacional para deixá-lo protegido até mesmo fora do Brasil. O seguro geralmente é válido para celulares com valor mínimo de quinhentos reais e que tenham até um ano de uso. Veja alguns tipos de coberturas:

  • danos físicos: os danos físicos são ocasionados por incêndio, acidente, impacto de veículos, queda de raio ou na tentativa de roubo;
  • subtração do bem: quando o aparelho é subtraído após um arrombamento (exceto se o dispositivo for deixado em um veículo) ou sob ameaça direta;
  • danos elétricos: os danos elétricos são causados por oscilações de energia, descargas elétricas e curtos circuitos;
  • danos por água ou qualquer outro líquido: são os danos causados de modo totalmente involuntário e acidental por água ou por outro tipo de líquido;
  • garantia internacional: trata-se de proteções em casos de sinistros que ocorrerem fora do Brasil.

O que levar em conta antes de contratar um seguro?

A seguir, veja alguns cuidados que você deve tomar antes de contratar um seguro para celular.

Compare os preços

É fundamental e extremamente indicado que você compare os preços das seguradoras e avalie se eles realmente correspondem à cobertura oferecida. Geralmente, o valor do seguro é calculado com base no valor do celular, chegando a 25% do seu valor.

Analise as coberturas oferecidas

Saiba que não são todas as seguradoras que cobrem todos os riscos que citamos aqui. Alguns serviços normalmente se limitam à cobertura de roubo. Por isso, observe atentamente o que está previsto no contrato e, claro, recorra à opção que realmente atenda às suas necessidades.

Verifique o valor da franquia

Observe também a franquia das seguradoras. Em alguns seguros, o preço chega a 25% do valor de nota fiscal do celular. Analise também a restrição das empresas quanto ao ano do aparelho, pois, em alguns casos, acabam recusando o seguro para dispositivos com mais de um ano de uso.

Confira o tipo de indenização

Veja também o que está previsto no contrato quanto à indenização e verifique qual a melhor opção para você. Determinados planos oferecem a reposição do celular enquanto outros realizam o reembolso do valor do aparelho ou dos gastos com o conserto.

Veja qual é o período de carência

Informe-se, ainda, se existe um período de carência que deve ser cumprido. Alguns planos estipulam um prazo inicial de 30 dias, sem que o cliente possa acionar a apólice.

Pesquise sobre a reputação da empresa

Descubra o máximo possível de informações ligadas à reputação da seguradora que você deseja contratar. Veja qual é a opinião dos consumidores, analise o índice de reclamações e verifique se a empresa é fiscalizada pela Susep (Superintendência de Seguros Privados), que é o órgão responsável pelo mercado de seguros.

O seguro não é caro quando se compara ao valor de um celular novo. Por isso, a contratação vale a pena. No entanto, é preciso ter bastante atenção às regras, como carências, exclusões, franquias, além de avaliar se a cobertura atende as suas necessidades antes de fazer o contrato, certo?

Agora que você já sabe qual é a finalidade do seguro para celular e quais são os pontos que precisam ser analisados antes de adquirir um plano, não deixe de contratar e garanta mais praticidade e conforto ao utilizar o seu aparelho.

Ficou interessado e deseja adquirir um seguro para o seu aparelho celular? Não perca mais tempo e entre em contato conosco para saber mais sobre os nossos serviços.

Agora que você já conhece as vantagens, que tal fazer um seguro para o seu celular?
Faça uma cotação »