15 ideias para trabalhar em casa como autônomo

O grupo de pessoas que deseja ganhar seu sustento sem sair do conforto do seu lar não para de crescer. Seja pela necessidade de complementar a renda ou, até mesmo, para melhorar sua qualidade de vida.

Se você é um dos que sonham em empreender na sua própria casa, inspire-se com os modelos de negócio listados a seguir. Veja 15 ideias para trabalhar em casa e tenha mais qualidade de vida!

Como surgem as ideias para trabalhar em casa?

Para conciliar as vidas pessoal e profissional mais facilmente, bem como dar conta das tarefas domésticas, reduzir gastos (com aluguel, no caso de quem já tem um negócio, bem como transporte, alimentação, entre outros) e tentar se poupar de situações de estresse, muitos optam por empreender aonde residem. O bacana é que existem ideias para trabalhar em casa voltadas para diversos perfis profissionais.

Algumas são mais indicadas para quem tem formação acadêmica na área, mas a maioria depende apenas de dedicação e conhecimentos práticos. Confira:

  1. Preparar e entregar pratos prontos frescos (comida caseira, saudável, low carb etc) ou congelados (salgadinhos ou até refeições);
  2. Montar uma confeitaria por encomenda, fazendo bolos simples ou decorados (cenográficos ou comestíveis), doces tradicionais ou finos, sobremesas no pote etc;
  3. Abrir uma oficina de costura (para consertos e ajustes em geral) e/ou trabalhar com estamparia (como de camisetas personalizadas);
  4. Produzir sabonetes especiais, velas aromáticas e/ou aromatizadores de ambiente (inclusive customizados, para dar como lembrancinha);
  5. Desenvolver itens de decoração para festas (infantis, debutantes, casamentos etc);
  6. Restaurar móveis, fazer artesanato (de crochê a pintura, escultura etc) e/ou se tornar designer de bijuterias;
  7. Montar um espaço para serviços de cabelereiro, esteticista e/ou manicure;
  8. Oferecer sessões de massagem e/ou terapias alternativas;
  9. Montar um hotelzinho para cães ou um espaço para banho e tosa;
  10. Equipar um estúdio fotográfico para produção de ensaios com um estilo específico, como para gestantes, newborn (para recém-nascidos) e smash the cake (para bebês que já sentam);
  11. Consertar eletrodomésticos e eletroeletrônicos em geral ou se dedicar a um item em específico, como celulares e respectivos acessórios;
  12. Trabalhar como secretário/a remoto/a, para organizar agendas e reuniões, transferir ligações etc;
  13. Dar consultorias de estilo, de organização do lar, de administração do tempo etc;
  14. Fazer serviços de tradução, de revisão etc;
  15. Dar aulas particulares sobre uma disciplina ou área do conhecimento que tenha profundo domínio.

Existem franquias para abrir em casa?

Sim. São as chamadas microfranquias home based ou franquias de baixo custo, baseadas no sistema home office. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o valor para abrir uma microfranquia, considerando a taxa de franquia, o capital de instalação e o capital de giro, não pode ser maior que R$ 90 mil.

Muitas vezes, esse recurso provém do seguro-desemprego, do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e/ou da venda de bens (automóveis, imóveis etc) do trabalhador. No mercado brasileiro, mais de 500 redes oferecem essa modalidade de franchising. Há opções na área de educação, moda, beleza, alimentação, construção e serviços de limpeza, pintura, manutenção, cuidados automotivos etc.

Para escolher, opte por uma franquia de um ramo no qual tenha afinidade e sinta prazer, pois é preciso se envolver 100% com o negócio. E lembre-se que, independentemente de estar em casa e ter um modelo de operação enxuto, é preciso seguir à risca as normas da franqueadora.

Quais são as principais exigências para quem trabalha em casa?

Segundo o Sebrae, para o trabalho em casa dar certo é preciso planejamento e um plano de negócio bem estruturado, além de uma boa divulgação (tanto no boca a boca como nas redes sociais).

Também é importante participar de feiras do segmento, se atualizar, trocar experiências e melhorar a qualidade dos produtos ou serviços oferecidos, com o intuito de conquistar mais clientes e manter os que possui. Em relação à formalização, pode se tornar um Microempreendedor Individual (MEI) quem:

  • tenha faturamento anual limitado a R$ 81 mil;
  • não possua participação em outra empresa;
  • contrate, no máximo, um funcionário.

A lista de atividades encaixadas no MEI consta no Anexo XI da Resolução nº 140 do Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN). Em caso de dúvida, verifique com um contador. Além disso, atente às normas municipais, estaduais e federais para a realização da atividade pretendida, pois algumas exigem capacitações específicas, licenças, alvarás de funcionamento etc. Se morar em um condomínio, informe-se sobre as regras.

A formalização é importante porque permite ampliar o público atendido, pois ainda que a emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) para pessoa física não seja exigida, quando o cliente é outra empresa, ela se faz necessária. Outra vantagem é poder contribuir com o INSS e ter direito a auxílio-doença, salário-maternidade e aposentadoria por invalidez.

Qual tipo de seguro é mais indicado quando se trabalha em casa?

Para esse perfil de empreendedor, vale a pena contratar um seguro residencial, com a chamada cobertura para negócios em casa. Além dos itens de escritório, os quais já eram amparados no seguro residencial, ela também cobre equipamentos e móveis utilizados nos negócios, sejam abertos ou fechados ao público.

Nesse tipo de cobertura, empreendedores que trabalham em casa (com ou sem CNPJ) têm a certeza de estarem protegidos em caso de danos por incêndio, explosão, curto-circuito, queda de raio e/ou roubo ou furto. Além dessa, é possível escolher entre mais de 10 outras coberturas disponíveis no seguro residencial. Devido ao baixo custo e a alta proteção do seguro residencial, mesmo que não haja nenhum sinistro, os serviços gratuito de assistência 24 horas (chaveiros, eletricistas, profissionais para reparos em eletrodomésticos etc) compensam a contratação.

Também é possível contratar serviços adicionais como desentupimento, desinsetização, assistência para pet, entre outros — de acordo com o que for importante para você. Mas atenção: quem já possui um seguro residencial, antes de iniciar os trabalhos, deve averiguar se contratou a cobertura para negócios em casa, pois é ela quem assegura os itens relacionados à atividade profissional.

Assim, se você tem boas ideias para trabalhar em casa e precisa de uma cobertura ideal para o seu negócio, não quebre a cabeça sozinho. Faça uma cotação com um corretor (pode ser online) e esclareça todas as suas dúvidas. E não esqueça: por mais sucesso que o negócio faça, sempre invista em melhorias e nunca descuide de nenhum detalhe, para não ficar para trás.

Agora que você já conhece as vantagens, que tal fazer o cálculo do seguro para sua residência?

Faça uma cotação »