Quais são os benefícios de investir em imóveis? Confira!

Investir em imóveis

A conquista da casa própria ainda é um sonho para grande parte da população. Contudo, algumas pessoas vão além quando se trata da compra de bens, pois desejam investir em imóveis e entrar no ramo do mercado imobiliário. Afinal, essa é uma excelente forma de aplicar o dinheiro que está excedente no orçamento.

O investimento no ramo imobiliário veio somar-se a outros, como o título, a bolsa de valores e a poupança. Trata-se de uma das mais seguras e tradicionais formas de aplicação, que ganha ainda mais destaque em um cenário de incertezas econômicas, como o que o país está vivendo. Mas você sabe como funciona um investimento imobiliário?

Para ajudá-lo a conhecer mais sobre o assunto, preparamos este guia completo com as principais características desse mercado e as vantagens de investir em imóveis. Confira!

Como funciona o investimento em imóveis?

Antes de investir em imóveis, é importante saber como funciona o setor imobiliário. Algumas características transformam essa opção uma das preferidas entre os indivíduos que querem construir um patrimônio enquanto investem dinheiro. Os principais motivos para isso são:

  • a segurança do investimento;
  • o potencial de valorização;
  • a alta demanda;
  • a possibilidade de diversificação, entre outros.

Entendeu por que o setor imobiliário é tão atrativo? Mas você sabe quais são as opções de investimento? As alternativas mais comuns na hora de investir nesse setor são:

  • compra para locação, que pode ser por contrato mensal ou por temporada;
  • compra para revenda, com possibilidade de construir ou reformar.

Quais são os tipos de investimentos?

Quando falamos em tipos de investimento, existem duas modalidades que podem ser utilizadas. Conheça mais detalhadamente cada uma delas a seguir.

Compra direta

Essa é a forma mais tradicional e convencional de investimento imobiliário, por isso também é a mais conhecida. Nesse modelo, o investidor adquire um imóvel com o objetivo de rentabilizá-lo. Para conseguir a rentabilidade desejada, pode-se lançar mão de algumas estratégias, como:

  • comprar um imóvel pronto e disponibilizá-lo para locação;
  • comprar um imóvel na planta para revendê-lo depois de pronto;
  • comprar um imóvel para realizar reformas e melhorias, revendendo-o por um valor mais alto.

Fundos Imobiliários

Quando um grupo de investidores se reúne e aplica, em conjunto, seus recursos em empreendimentos imobiliários, estamos diante dos chamados fundos imobiliários. Essa é uma modalidade de investimento muito utilizada com o objetivo de adquirir imóveis que o indivíduo não teria capacidade financeira de comprar sozinho.

Sendo assim, cada participante tem um número de cotas proporcionais ao valor investido. Além disso, em alguns fundos é permitida a negociação das cotas, podendo o investidor entrar ou sair do negócio a qualquer momento, pela compra ou venda das cotas no mercado. Entre os exemplos mais comuns de imóveis adquiridos por fundos imobiliários, temos:

  • shoppings;
  • hotéis;
  • prédios comerciais;
  • agências bancárias;
  • empreendimentos residenciais.

Em que tipo de imóvel investir?

O investimento sofre algumas variações a depender do tipo de imóvel escolhido. Embora o objetivo final seja o aumento na renda do investidor, itens como orçamento, prazo e retorno do investimento, entre outros, devem ser considerados na hora da decisão. Veja, a seguir, em quais tipos de imóveis é possível investir.

Terrenos

Terrenos são excelentes opções, pois costumam valorizar rapidamente e são, frequentemente, vendidos por valores bem maiores do que os de aquisição. Em um país em constante expansão horizontal, como o Brasil, os arredores dos grandes centros urbanos crescem em um ritmo acelerado.

Isso faz com que localizações inicialmente consideradas distantes demais das grandes cidades se destaquem em pouco tempo. Dessa maneira, os terrenos são conhecidos como geradores de riqueza. Além disso, existe um grande movimento de construção de condomínios de luxo que também contribui para que esse tipo de investimento seja uma opção bastante lucrativa.

Casas e apartamentos usados

Os imóveis usados são ótimas oportunidades de investimento. Além de já estarem prontos — ou seja, disponíveis de modo imediato —, é possível encontrar verdadeiras relíquias (que precisam de apenas algumas pequenas reformas) entre as opções disponíveis no mercado.

Desse modo, vale a pena investir na compra de casas e apartamentos usados, realizar melhorias e aproveitar sua valorização. Antes de finalizar o negócio, avalie as reais possibilidades de lucro e compare com o valor que terá que ser investido no local. Com paciência e persistência, é possível fazer a escolha certa, afinal, existem milhares de imóveis usados disponíveis em todo o país. É preciso saber garimpar!

Imóveis na planta

Outra excelente modalidade de investimento imobiliário é comprar imóveis na planta. Essa é considerada uma das melhores opções, pois o imóvel em construção (ou em pré-construção) é adquirido por um preço inferior ao do pronto, o que faz com que ele seja valorizado com o passar do tempo.

Outra vantagem é que esses empreendimentos oferecem uma variedade de possibilidades, pois, frequentemente, a construtora disponibiliza variações na planta — como quartos reversíveis, possibilidade de cozinha americana, entre outros. O investidor pode, também, escolher o andar e a posição do imóvel.

Além disso, as condições de pagamento costumam ser bastante facilitadas — contribuindo com o planejamento financeiro — e o comprador encontra menos burocracia na etapa de documentação.

Imóveis comerciais

Os empreendimentos com finalidades comerciais (como lojas, escritórios, fábricas e indústrias) configuram um tipo de investimento imobiliário bastante promissor. A principal razão para isso se deve ao crescimento das cidades. Afinal, a expansão urbana não aumenta apenas o número de residências, mas também a quantidade de todo tipo de comércio para atender aos habitantes daquela região.

Dessa forma, os imóveis comerciais são uma parte importante no processo de crescimento da população. Para ter maior liquidez nesse tipo de investimento, é preciso escolher empreendimentos com boas localizações e que possam abrigar serviços mais essenciais, como farmácias, padarias e mercados, entre outros.

Além do que já foi exposto, não podemos deixar de citar a grande vantagem em relação à locação nesse tipo de empreendimento. Enquanto imóveis residenciais são usualmente alugados por 2 a 3 anos, o contrato de aluguel dos comerciais costuma durar entre 5 e 10 anos, gerando mais segurança financeira ao proprietário.

Imóveis rurais

Não poderíamos finalizar essas dicas sem citar os imóveis rurais. Embora o investimento imobiliário acabe focando os grandes centros urbanos, é inegável que o Brasil é um território onde ainda há muita terra a ser explorada, o que se torna um grande atrativo.

Uma das principais características desse tipo de imóvel é a grandeza e disponibilidade do terreno — medido em alqueires ou hectares —, como chácaras, sítios e fazendas. Desse modo, além da área construída, os imóveis rurais costumam ter espaços suficientes para pastos e plantações, aumentando sua valorização.

Quais são os benefícios de investir em imóveis?

Como vimos, investir em imóveis é bastante atrativo devido à forte valorização do setor. Contudo, se você ainda tem dúvidas se essa é a opção certa para você, confira, a seguir, os principais benefícios desse tipo de investimento!

Segurança do patrimônio

O investimento imobiliário é um dos mais seguros, pois o ativo consegue manter seu valor mesmo em épocas de crise, tornando essa uma oportunidade muito interessante para quem procura uma fonte de renda segura para o futuro. Afinal, uma propriedade com boa localização, garante um ganho quase certo e por toda a vida.

Além disso, trata-se de um investimento que não tem relação direta com a queda da bolsa de valores e a quebra de bancos, nem pode ser congelado pelo governo (como a poupança). Ou seja, independentemente da crise, o imóvel adquirido permanece como um patrimônio. 

Valorização certa

Nos últimos anos, o Brasil chegou a um deficit habitacional de 7,78 milhões de residências que, somado ao crescimento populacional, gerou um aumento na busca por moradias. Com a elevação da procura, podemos observar uma alta dos preços dos imóveis, pois as empresas do setor imobiliário não conseguem atender todo mundo.

Além disso, fatores como localização e itens diferenciados potencializam ainda mais esse aumento. Desse modo, o investidor que adquire um imóvel com boa localização encontra mais chances do bem ser valorizado com o passar do tempo. Para ter ainda mais segurança, vale a pena contratar um seguro residencial, pois essa é uma excelente forma de proteger o patrimônio.

Rentabilidade

Sem dúvida, a rentabilidade é um grande atrativo para quem pensa em atuar no mercado imobiliário, pois um imóvel pode tanto gerar lucro quanto ser uma fonte de renda. Afinal, mesmo em um momento (de crise) em que a venda não seja uma opção favorável, o proprietário pode disponibilizar o imóvel para locação, transformando o aluguel em uma renda passiva.

Essa possibilidade de locação vale tanto para contratos regulares quanto por temporada, sendo essa segunda hipótese até um pouco mais vantajosa, pois os ganhos diários tendem a ser mais lucrativos em época de alta procura. Assim, o investimento imobiliário é bastante rentável.

Renda passiva

Como vimos, fazer um investimento imobiliário pode gerar uma renda passiva para o investidor. Se esse for o principal objetivo, é preciso escolher o imóvel analisando seu potencial, com especial atenção à localização, à planta e às facilidades do condomínio (quando for o caso), entre outras características.

Na hipótese de locação, a renda recebida pelo proprietário pode ser usada para cobrir as despesas do imóvel, outros gastos, ou até garantir um orçamento extra para outros investimentos. Essa é uma das suas maiores vantagens.

Alta liquidez

Várias atividades cotidianas precisam de um imóvel para serem realizadas: moradia, trabalho, compras, academia, clube, banco, farmácia, entre outros. Ou seja, há sempre algum imóvel envolvido na rotina da população. Desse modo, mesmo em situações de crise, há demanda por imóveis.

Trata-se de uma forma de investimento bastante estável, por isso, mesmo que o momento não seja favorável, o imóvel tem alta liquidez. Assim, o investimento imobiliário é uma boa fonte de recursos e, ainda, pode ser usado como moeda de troca em uma eventual negociação.

Aumento da disciplina financeira

Para quem deseja investir, mas precisa de mais organização, o investimento imobiliário é uma excelente opção, pois contribui para a disciplina financeira. Isso ocorre, principalmente, porque a compra de um imóvel exige que o investidor economize para a aquisição, obtendo os recursos necessários, mas também impõe certa organização para vender e reinvestir da forma mais adequada e rentável.

Portfólio diversificado

Quem deseja ingressar no setor de investimentos precisa aprender sobre a importância da diversificação. Esse é um componente fundamental para a redução de riscos, pois quanto mais diversificados são os ativos, menores são as chances de prejuízos. É o famoso “não colocar todos os ovos na mesma cesta”.

Nesse sentido, o setor imobiliário tem baixo risco (em comparação com outras formas de investimento), transformando essa em uma ótima forma de garantir um bom desempenho em todos os momentos. Ou seja, um imóvel sempre é um ativo tangível seguro no portfólio. Desse modo, investir em propriedades garante um portfólio diversificado e com riscos reduzidos.

Quais são os tipos de rentabilidade do imóvel investido?

Como vimos, a rentabilidade é um dos principais benefícios de investir em imóveis. Mas você sabe quais são os tipos de rentabilidade possíveis com o imóvel investido? Confira algumas opções a seguir!

Construção em terrenos

Os terrenos geralmente são opções mais baratas e podem valorizar bastante dependendo dos investimentos que são feitos neles. Por exemplo, o valor de um terreno pode aumentar em 10, 20, ou até 100 vezes, devido às construções que foram realizadas pelo investidor.

Aluguel tradicional ou fora de temporada

Como sempre há demanda por imóveis devido ao deficit habitacional, o aluguel é uma boa opção de rentabilidade. Afinal, existem muitas pessoas buscando apartamentos e casas para alugar, seja para moradia, seja para trabalho. Por isso, estude bem o perfil das pessoas que podem se interessar por determinado imóvel antes de investir nele.

Aluguel por temporada

Especialmente em cidades turísticas, o aluguel por temporada é uma opção bastante rentável no ramo imobiliário. Essa modalidade de locação funciona basicamente da seguinte forma: o proprietário aluga o imóvel por um ou mais dias, ou por uma ou mais semanas.

Dependendo da taxa de ocupação do imóvel, o faturamento pode superar o aluguel tradicional. Além disso, plataformas de aluguel, como o Airbnb e o Booking, estão contribuindo para o crescimento dessa modalidade, facilitando a busca por propriedades em cidades turísticas. 

Revenda na valorização

É o conhecido “comprar na baixa e vender na alta”, ou seja, o investidor compra o bem para revendê-lo em um momento em que estiver mais valorizado no mercado.

Como se planejar para investir no mercado imobiliário?

Antes de efetivamente investir no mercado imobiliário é importante saber a forma mais viável para você fazer isso, pois existem diferentes modos de planejar a compra do imóvel. Conheça, a seguir, algumas estratégias utilizadas para realizar esse tipo de investimento com segurança.

Não investir por impulso

Para decidir qual tipo de investimento fazer é preciso pensar bem. Nesse momento, procure não agir pela emoção, pois uma escolha por impulso pode prejudicar seu orçamento. Caso se deixe dominar por aspectos emocionais na hora da decisão, o investidor corre grandes riscos de sofrer prejuízos.

Desse modo, avalie — de forma lógica e técnica — atentamente cada opção de negócio, ponderando os pontos negativos e positivos do imóvel. Importante ressaltar que essa dica vale tanto para compra quanto para venda, sendo uma atitude fundamental a ser adotada na hora de tomar decisões racionais, especialmente durante crises econômicas.

Observar a localização do imóvel

Esse é um dos primeiros passos e, realmente, bastante importante. Caso tenha a intenção de investir em um imóvel, analise a sua localização. Afinal, se ele for bem localizado, maiores serão as chances de gerar um retorno financeiro maior, pois o proprietário conseguirá melhores valores por ele.

Contudo, o oposto também é verdadeiro: uma localização ruim desvaloriza o imóvel e pode até gerar prejuízos ao investidor. Por isso, ao analisar uma propriedade para investimento, verifique se a região em que ela está localizada é atrativa ou não. Assim, você pode evitar um mau negócio.

Entender melhor o mercado da região

Imagine investir em um imóvel que parece ótimo, mas que não é muito rentável (seja pela localização, seja pelo momento econômico atual)? Para evitar negócios ruins, é importante conhecer e entender bem o mercado do local. Por isso, conhecer melhor a região em que deseja investir ajuda a saber qual é o momento mais adequado para isso.

Portanto, avalie cuidadosamente o local, focando no potencial da propriedade e nos seus objetivos com o investimento. Pense em curto, médio e longo prazos! Uma dica é pesquisar os índices de segurança, a taxa de crescimento e se outros empreendimentos estão sendo construídos na região, pois muitas construções surgindo são um bom prognóstico para o potencial do local.

Ao mesmo tempo, a existência de muitos empreendimentos sendo vendidos na região pode sinalizar algum problema. Nesse caso, é preciso avaliar se os imóveis estão à venda há muito tempo, se os preços estão em queda, se a causa de estarem estagnados é a (má) localização, entre outros fatores.

Conferir a documentação do bem

Antes de fechar o negócio de forma definitiva, é fundamental conferir se a documentação do imóvel está regular. Infelizmente, não raro alguns proprietários — ou terceiros — tentam vender um bem irregular, que não poderia ser alienado. Caso a venda ocorra, o negócio poderá ser anulado (por um juiz), deixando o comprador no prejuízo.

Para evitar esse tipo de problema, verifique todos os documentos do bem e exija as certidões negativas do imóvel — ou requeira a matrícula do imóvel com certidão de ônus no Cartório de Registro de Imóveis. Essa é a sua garantia de estar fazendo um negócio sem vício de legalidade.

Ter reserva financeira

A aquisição de um imóvel envolve uma série de despesas, e algumas podem surgir inesperadamente. Só para ter uma ideia do custo total da compra de um imóvel, as taxas e os tributos — como a Escritura Definitiva de Compra e Venda, a taxa de escritura paga junto ao banco e o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) — são de responsabilidade do comprador. Sem falar nas taxas do Cartório de Registro de Imóveis.

Portanto, é importante ter uma reserva financeira para esses gastos. Até porque, após essa etapa envolvendo burocracias e pagamentos de taxas, ainda será preciso arcar com as despesas com mobília, instalações, decoração, mudança, entre outros. Desse modo, procure fazer uma boa poupança e calcule os possíveis custos para não ser pego de surpresa.

Fazer um consórcio

O primeiro passo aqui é entender como funciona um consórcio, afinal, é importante conhecer bem a modalidade escolhida para aproveitar todas as vantagens dessa opção. Assim, um consórcio de imóveis é a reunião de um grupo de pessoas com o objetivo de arrecadar uma quantia durante determinado período e, ao final, adquirir um imóvel.

Desse modo, ao optar por participar do consórcio, cada consorciado deve pagar prestações mensais. Quando as cotas pagas de cada participante são somadas, chega-se a determinado valor que permite uma quantidade preestabelecida de sorteados a cada mês.

O consórcio oferece diferentes opções de planos, valores e prazos. Assim, é possível escolher o modelo que cabe no seu orçamento. Essa facilidade e diversidade vem contribuindo para o aumento do número de pessoas que escolhem participar dessa modalidade.

Uma das principais vantagens do consórcio é que, além dos sorteios mensais, é possível fazer lances, o que aumenta as chances de ser contemplado. Além disso, pode-se utilizar o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para os lances.

Importante ressaltar que o contemplado pode utilizar o crédito do consórcio para outro fim, como construir ou reformar. Ou seja, o consórcio é uma forma eficiente de impulsionar a capacidade de compra, sendo um excelente recurso para quem deseja investir dinheiro em uma propriedade.

Como você viu, o investimento em imóveis é bastante seguro. Mas, para ter sucesso nessa empreitada, é preciso saber exatamente como se tornar um investidor e quais opções o mercado oferece para quem quer entrar nesse ramo.

Desse modo, se você deseja investir em imóveis, pesquise, entenda o que esperar desse setor e descubra como você conseguirá alcançar o sucesso como investidor. Além disso, é importante destacar o papel do consórcio como garantia de um investimento seguro, sendo uma das melhores opções no mercado do investimento imobiliário.

Gostou do nosso conteúdo? Deseja saber mais sobre o assunto? Entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo!