Seguro auto: tudo o que você precisa saber!

Muitas pessoas só se lembram de tomar medidas importantes — como contratar um seguro auto — quando os imprevistos surgem e atrapalham seus planos. Contudo, um fator que colabora para essa realidade é a falta de informação.

Então, para que não restem mais dúvidas sobre esse tipo de seguro, resolvemos preparar um guia completo, com tudo o que você precisa saber sobre o serviço. Assim, você terá em mãos um arsenal de informações para tomar a melhor decisão ao contratar seu seguro auto.

Podemos adiantar que o serviço não só garante benefícios ao seu veículo, mas também oferece outras facilidades disponíveis 24 horas. Afinal, mais importante do que cuidar do seu carro, é cuidar de você, não é mesmo? Confira o conteúdo completo!

O que é o seguro auto?

Para começar, vale explicar melhor o que é um seguro auto. No Brasil, ele é dividido em dois grupos distintos: o seguro obrigatório, mais conhecido como DPVAT — Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres —, e o seguro facultativo, que é contratado pelas pessoas à parte, se elas quiserem.

Sobre este último tipo de seguro, a pessoa tem indenização garantida principalmente diante de danos acidentais causados ao veículo, bem como por roubo ou furto, a danos causados a terceiros e/ou a passageiros acidentados.

Contudo, a contratação do seguro auto pode ser personalizada de acordo com a empresa que o oferece, gerando uma apólice — ou seja, um contrato — que esteja dentro da realidade do segurado, de acordo com suas necessidades.

Seguro facultativo

O seguro auto particular, que garante os benefícios citados anteriormente, pode ser de dois tipos diferentes: para pessoas física e jurídica. A diferença está na finalidade do automóvel coberto pelo serviço, bem como no tipo de documento utilizado no momento de contratação.

Seguro auto para pessoa física

O seguro direcionado à pessoa física é o mais comum, pois prevê a proteção de um veículo de uso particular. Logo, para contratar esse seguro auto, você deve apresentar as documentações com base no seu CPF.

Seguro auto de pessoa jurídica

Já o seguro para pessoa jurídica diz respeito àquele realizado para empresas que necessitam de veículos para uso comercial ou empresarial. Assim, ao contratar uma apólice, é utilizado um CNPJ. 

Por que contratar um seguro auto?

Para que não exista nenhuma dúvida em relação à contratação de um seguro dessa natureza, você deve ter em mente alguns fatores que ajudam na tomada de decisão. É claro que o maior objetivo é reduzir prejuízos financeiros ligados a danos ou à perda do veículo. Entretanto, podemos elencar mais algumas vantagens!

Preserva o seu patrimônio

Quando adquirimos um bem de alto valor financeiro, como um carro, estamos sujeitos a alguns imprevistos negativos, como ações de pessoas mal-intencionadas, acidentes de trânsito etc.

Nesse sentido, ao contratar um seguro auto, garantimos que o custo investido no veículo fique resguardado. Isso porque o seu dinheiro será reembolsado, evitando que os incidentes gerem prejuízos e demais problemas relacionados.

Colabora com a responsabilidade civil

Um seguro auto também considera a responsabilidade civil, geralmente em suas coberturas básicas ou adicionais. Isso quer dizer que, se você se envolve em um acidente, vai poder arcar com os danos causados a terceiros — afinal, não é apenas o seu veículo ou a sua segurança que foram colocados em risco, certo?

Oferece inúmeros serviços úteis

Além das vantagens anteriores, ao contratar um seguro auto, a pessoa conta com vários serviços que são verdadeiros facilitadores do dia a dia. É o caso de guincho, assistência a panes e até mesmo serviços de chaveiro e troca de pneus.

Fornece mais tranquilidade e comodidade

Diante desses serviços úteis, que salvam o dia de qualquer pessoa, podemos dizer que o seguro auto dá muito mais tranquilidade ao contratante e à sua família. Isso porque, independentemente do imprevisto, não será preciso se preocupar com gastos extras, burocracias e prejuízos.

Quais são as principais coberturas básicas de um seguro auto?

Você deve ter reparado que mencionamos anteriormente as coberturas básicas e adicionais ao citarmos a responsabilidade civil. Porém, antes de sabermos mais sobre as últimas, é fundamental conhecer quais são as básicas oferecidas. Confira!

Compreensiva

A cobertura total garante indenização integral ou parcial decorrente de problemas como roubo, furto, colisão, incêndio e alagamento.

Danos a terceiros

Já cobertura de danos a terceiros diz respeito aos prejuízos materiais, além de corporais, recorrentes de acidentes que envolvem terceiros.

Acidentes pessoais de passageiros

Para resguardar os passageiros e o motorista do veículo, o seguro auto também deve cobrir danos corporais em razão de acidentes.

Incêndio, roubo e furto

Em situações como incêndios, furtos ou roubos, o seu seguro também reembolsará as perdas ou despesas causadas por esses sinistros — lembrando que vai desde indenização parcial até integral, de acordo com o limite máximo contido na apólice.

Quais são as principais coberturas adicionais?

Se um seguro auto oferece as coberturas básicas citadas acima, o que faz um serviço se diferenciar do outro? A resposta está nas coberturas adicionais. Na Porto Seguro, garantimos os seguintes serviços!

Proteção aos vidros

Uma cobertura básica de seguro auto também prevê o reparo ou a troca de vidros, lanternas, faróis e retrovisores, em caso de danos.

Carro reserva ou crédito para aplicativo de transporte

Se você sofre a perda parcial ou integral do seu veículo, o seguro cobre a locação de um automóvel popular básico, com motor 1.0, por um período que pode variar de 7 a 30 dias, de acordo com a cláusula contratada, ou um crédito para utilizar aplicativo de transporte.

Seguro da franquia

No momento da contratação do seguro, quando optar pelo seguro da franquia, o cliente fica isento do pagamento da franquia em seu primeiro sinistro de casco coberto e indenizável, quando o valor do reparo for superior à franquia. Em caso de sinistro, a seguradora pagará o valor da franquia diretamente à oficina responsável pelo reparo do veículo. Caso o cliente queira reintegrar essa cláusula após o primeiro acionamento, também é possível, mediante pagamento de prêmio adicional. Essa reintegração é permitida apenas uma vez.

Higienização em caso de alagamento

Estamos sujeitos a enchentes, alagamentos e inundações, principalmente na atualidade, uma vez que os desastres naturais não estão perdoando nem mesmo áreas antes consideradas mais seguras. Por isso, vale a pena adicionar a cobertura que garante a limpeza do seu automóvel diante desses sinistros.

Lucros cessantes por paralisação do veículo

Também é possível prever o pagamento de diárias, por exemplo, no caso de algum acidente em que seja preciso paralisar o veículo que é utilizado para o trabalho.

Carro reserva de porte médio

Se ocorrer a perda parcial ou integral do veículo, a cobertura adicional aloca um veículo de marca nacional e porte médio, no modelo sedan 1.4, dentro do período de 7 a 30 dias, de acordo com a cláusula contratada.

Assistência 24 horas gratuita para envio de guincho ou técnico

Também pode ser oferecida uma cobertura que oferece agilidade de atendimento técnico para problemas mecânicos e elétricos, bem como para falta de combustível, chaveiro ou guincho.

Danos morais

Sim, é possível que você também precise de reembolso na indenização paga a terceiros, caso ocorram danos morais ou estéticos no envolvimento de acidentes de trânsito cobertos e indenizáveis.

Assistência 24 horas gratuita para residência

O segurado também tem direito a acionamentos gratuitos para serviços à residência como assistências à linha branca, manutenções hidráulicas ou elétricas, limpeza de calhas, substituição de telhas e chaveiro, de acordo com o seguro contratado.

O que é franquia?

Durante a leitura você se deparou com o termo “franquia”. É importante saber que ela se trata do valor mínimo para acionar seu seguro auto. Para explicar melhor, ela é o valor que fica sob sua responsabilidade em caso de algum sinistro, ou seja, a parte em dinheiro que você paga para consertar seu carro.

A seguradora é responsável por cobrir os gastos superiores à franquia, então, ela pode ser considerada uma coparticipação do segurado no valor do orçamento feito sobre o sinistro. Se o segurado assumiu uma franquia de R$ 2.000,00, por exemplo, ele ficará responsável por esse valor no pagamento dos reparos do veículo. Então, se o prejuízo foi de R$ 6.000,00, o seguro auto entra com os R$ 4.000,00 restantes.

Ao seguir essa lógica, se o problema ficou em menos de R$ 2.000,00, ele não é considerado um sinistro pela seguradora, ficando a cargo do segurado arcar com os custos de reparação do seu automóvel. Entretanto, vale lembrar que existem alguns tipos diferentes de franquia.

Franquia normal ou básica

Essa franquia é a mais comum, variando de valor de acordo com a seguradora.

Franquia ampliada

Essa franquia é maior que a básica e, por isso, o preço do seu seguro será menor. É uma boa opção para quem deseja pagar menos no momento da contratação. Mas, vale lembrar que para acionar o seguro, os danos ocasionados ao veículo precisam ser superiores à franquia estipulada.

Franquia reduzida

Já a franquia reduzida é o contrário da ampliada. Ela deixa o seu seguro auto mais caro, porém, permite que você acione o serviço em mais situações, uma vez que sua franquia será menor.

Como funciona a vistoria prévia?

Outro aspecto que também gera dúvida nas pessoas é a vistoria prévia para se contratar um seguro auto. É essa vistoria que vai avaliar as condições do veículo e fazer com que o segurado encontre a melhor alternativa na contratação do serviço.

Você deve saber que a vistoria para seguro acontece tanto em postos autorizados quanto na residência do cliente, diante de data e horário marcados para o atendimento. É um procedimento necessário para que a seguradora aceite o seu automóvel dentro de suas apólices.

Quando ela é necessária?

A vistoria prévia é necessária em qualquer contratação de seguro auto. Nesse sentido, é melhor dizer quando ela não é necessária, uma vez que existem apenas duas situações:

  • quando a contratação do seguro é feita para um automóvel zero quilômetro, uma vez que ele ainda está em suas condições de fábrica;
  • quando o segurado faz uma renovação de contrato, porém, dentro da vigência de sua atual apólice.

Como é calculado o valor do prêmio do seguro de automóvel?

Para um seguro auto, o prêmio é o valor que o segurado paga para ter direito às coberturas contratadas. Logo, quanto maior o risco do seu veículo, maior será o prêmio. Entretanto, esse cálculo também considera dados estatísticos gerais, como veremos a seguir.

Perfil do condutor principal

O dono do automóvel tem seu perfil analisado de acordo com pesquisas e levantamentos oficiais, considerando aspectos como idade, sexo, estado civil e tempo de habilitação.

As mulheres e as pessoas mais velhas, por exemplo, conseguem valores mais baixos, por serem consideradas mais atentas enquanto dirigem. Na mesma proporção, os indivíduos casados obtêm seguros mais baratos em relação aos solteiros, bem como quem tem mais experiência no trânsito.

Nível de uso do carro

Ao manter um carro que fica mais tempo guardado na garagem, você terá menos chances de se envolver em acidentes de trânsito. Portanto, isso também reduz o valor do seguro auto. Por outro lado, veículos que são usados com mais frequência tendem a aumentar os custos do serviço — até mesmo o lugar em que ficam estacionados conta, como na rua ou em estacionamentos particulares.

Segurança na área de circulação

Os locais de residência e trabalho são pontos que contam no cálculo, pois o valor depende do índice de segurança das duas regiões. Se você trabalha ou mora em bairros com maior incidência de roubos ou acidentes, por exemplo, o seu seguro será mais caro.

Marca e modelo do veículo

O valor de mercado do seu automóvel também é um aspecto considerado. Isso porque certos modelos e marcas atraem mais a atenção de pessoas mal-intencionadas, bem como necessitam de uma manutenção mais cara. Automóveis mais velozes e carros antigos ou importados também costumam influenciar nos valores das coberturas.

Como acionar o seguro auto em caso de sinistro?

Esperamos que nunca seja necessário, porém, caso algo aconteça, é preciso acionar o seguro auto. Dependendo de cada sinistro, você deve seguir passos diferentes. Veja só!

Acidentes de trânsito

Primeiramente, preste os primeiros socorros, caso existam feridos. Anote os dados dos envolvidos, faça um Boletim de Ocorrência (BO), remova o carro para que ele não atrapalhe o trânsito e, assim, contate sua seguradora.

Colisão

Se o acidente foi mais simples, basta ligar para a seguradora e informar o que aconteceu. Contudo, lembre-se de que tudo vai depender do tipo de franquia e da cobertura que você contratou.

Furto ou roubo

Em caso de furto ou roubo, a primeira coisa a ser feita é o BO na delegacia mais próxima. Depois, entre em contato com a seguradora e avise sobre o sinistro, apresentando o boletim de ocorrência. Sem ele, não há como pagar a indenização.

Enchentes, incêndios e outros sinistros

Se acontecer algum sinistro natural como enchente, raios, chuva de granizo ou deslizamento de terra, bem como incêndios ou queda de árvore sobre o veículo, você precisa acionar primeiramente os bombeiros ou a polícia militar. Como sempre, o boletim de ocorrência deve ser realizado e, depois, você entra em contato com a seguradora.

Quais são as indenizações pagas pelo seguro auto?

Se algo acontecer com seu veículo, você terá direito à indenização. No entanto, ela pode ser parcial ou integral, a depender da situação em que se encontra o automóvel, e até mesmo feita a terceiros, caso exista mais algum envolvido.

Indenização integral

Quando o reparo se torna economicamente inviável, o mais sensato é acionar a indenização integral. Isso quer dizer que os custos seriam superiores a 75% do limite máximo da indenização, sendo necessário indenizar o valor equivalente ao veículo.

Indenização parcial

Se o sinistro ocasionou avarias que podem ser reparadas em um valor que está abaixo desses 75% do valor do seu automóvel, é realizada a indenização parcial. Contudo, lembre-se de que, aqui, você fica responsável pelo pagamento da franquia que foi estipulada no momento de contratação do seguro auto.

Indenização para terceiros

Se aconteceu um acidente que envolveu terceiros, por exemplo, a seguradora também vai reembolsar o segurado pelas despesas relacionadas aos custos com os danos da outra pessoa — reparo material, despesas médicas e hospitalares etc.

Como contratar um seguro auto? 

Agora que você já sabe bastante coisa sobre o seguro auto, deve estar se perguntando o que deve ser feito para contratá-lo. Inicialmente, é interessante cotar o serviço, de modo que você não feche negócio com o primeiro que encontrar. É preciso analisar vários fatores e as coberturas, e considerar sempre o melhor custo-benefício.

Nesse cenário, avalie a credibilidade e a experiência da seguradora, bem como as coberturas oferecidas — básicas e adicionais —, o valor de mercado do seu veículo e a taxa de franquia, que você já sabe o que é. Depois, faça simulações com diferentes condições, a fim de encontrar a que mais atende suas necessidades.

São inúmeras vantagens que fazem da contratação do seguro auto um ótimo investimento, com um bom custo-benefício envolvido. Se você deseja contratar o serviço, entre em contato com a Porto Seguro Auto e encontre a solução mais aderente ao seu perfil, para o seu veículo!

Agora que você viu as vantagens de ter um Seguro Auto, que tal fazer uma cotação?

Clique aqui »