Quando vale a pena acionar a indenização do seguro?

Na hora de fazer o seguro, o cliente escolhe como será feita a indenização em caso de sinistros. Existem dois tipos de indenização. Neste artigo, você vai saber quais são e as diferenças entre elas; quando vale a pena acionar o seguro e qual o prazo para receber o valor contratado. Vamos lá? 

Tipos de indenização

Ela pode ser em valor determinado ou valor de mercado referenciado. No primeiro caso, o cliente receberá da seguradora um valor fixo que está descrito no contrato. Entretanto, é comum que sejam estabelecidos limites mínimos e máximos para essa quantia..

Já no caso do valor de mercado referenciado normalmente se usa a tabela Fipe como referência para a indenização. Neste caso, é possível escolher o valor de ajuste, que é um percentual que será aplicado sob a tabela. Como por exemplo: 100% ou 90% do preço do carro na tabela Fipe. Tudo isso é decidido durante a hora da contratação.

Tipos de indenização de um seguro auto: parcial ou integral

A indenização parcial ocorre quando o carro sofre algum tipo de avaria que não ultrapassa os 75% do valor total do automóvel. Nesse caso, a seguradora cuidará do reparo do veículo, utilizando peças de boa procedência. O segurado deverá arcar com a franquia determinada no contrato.

Na prática, o carro deverá ser levado a uma oficina mecânica, que fará um orçamento e um laudo informando que se trata de um dano que pode ser reparado. Depois que a seguradora aprovar o orçamento, o reparo poderá ser realizado.

O segurado pagará ao local o valor da franquia presente no contrato e a diferença será quitada pela seguradora. Vale ressaltar que o conserto só deverá ser realizado depois da autorização de reparo pela seguradora.

Já a indenização integral é feita quando o veículo é roubado ou furtado e não é localizado. É essencial que seja mostrado o Boletim de Ocorrência. Outra situação para esse tipo de ressarcimento é quando o carro precisa de reparos, mas eles ultrapassam os 75% de seu valor total. A partir disso, as seguradoras declaram a Indenização Integral do veículo e pagam por ele, usando como referência o valor da tabela Fipe e do que foi acordado na apólice de seguro.

Outro tipo de indenização é a de danos a terceiros, que permite que as pessoas que foram envolvidas no acidente sejam ressarcidas. Ele vai cobrir danos materiais (o veículo, um acessório, um objeto pessoal), lucros cessantes, despesas médico-hospitalares, de acordo com o que a apólice possui de cobertura. A indenização é paga diretamente a esses terceiros ou a seus representantes, em caso de morte. 

O reparo do veículo é pago ou para oficina ou direto ao proprietário legal do veículo, de acordo com a análise da seguradora e as despesas médicas-hospitalares à vítima.

Para que haja essa compensação financeira, as pessoas envolvidas precisam entrar em contato com a seguradora, informar a placa do veículo e o número do sinistro. Esse número representa a comunicação à seguradora de que houve um acidente com seu veículo e possui terceiro(s) envolvido(s). Por isso, se você for um terceiro em um sinistro, é importante pegar as informações e os contatos do segurado.

Vale ressaltar, entretanto, que existe limite para reparos, respeitando o que está no contrato. 

Prazos para pagamento da indenização de um seguro auto

As seguradoras possuem um prazo de 30 dias para indenizar o seu segurado, podendo ser reduzido de acordo com o procedimento de cada empresa. Na Porto, tentamos realizar esse procedimento o quanto antes. Lembre-se que esse período só começa a ser contabilizado a partir do momento em que toda a documentação é entregue à seguradora e não a partir do momento de comunicação do sinistro.

No caso de falta de algum documento, o prazo poderá ser suspenso até que seja enviado, podendo demorar mais para que o pagamento do seguro ocorra. 

É verdade que nem sempre compensa solicitar a indenização do seguro?

Sim. Quando se trata de danos pequenos como um amassado, risco na pintura, é mais interessante arcar com esse custo.

Isso acontece porque quando se aciona a seguradora para indenizar com danos parciais, o segurado deverá arcar com os custos da franquia que, muitas vezes, é superior a esses pequenos reparos. Ah! E ainda é bom saber que toda vez que o seguro é acionado, essa informação fica registrada e diminui a classe de bônus do segurado.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com o seu Corretor. Até a próxima e não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais (@portoseguro).