Carro parado: saiba como cuidar do seu veículo e amenizar as despesas

São vários motivos que levam as pessoas a deixarem seus veículos guardados por um tempo: consciência ambiental, trabalho remoto, poucas vagas disponíveis no trabalho, entre outros. Porém, para que não ocorram prejuízos e despesas desnecessárias, é importante saber como cuidar do automóvel enquanto ele estiver inoperante.

Você já deve ter recebido uma dica aqui ou ali sobre o que fazer, mas sempre fica aquela dúvida sobre o que realmente é seguro para colocar em prática, certo? Então, este artigo foi feito especialmente para você: vamos explicar as despesas que seu carro pode gerar, mostrando como é possível amenizar os impactos e formas de cuidar do veículo parado. Confira!

Quais as consequências de deixar o carro parado na garagem?

Antes de tudo, é importante que você entenda o que acontece com um carro parado por determinado período. A seguir, selecionamos os principais impactos, dos danos às peças, aos custos recorrentes, que não param junto com o veículo. Veja só!

Danos às peças

Definitivamente, um carro não foi feito para ficar parado. Portanto, se ele não está funcionando regularmente, suas peças começam a sofrer alguns degastes e correm sérios riscos de darem problema quando você for ligar o automóvel novamente.

Motor

A principal peça que sofre com o carro na garagem é o motor, uma vez que o óleo parado não pode manter as partes internas da máquina lubrificadas. Geralmente, ele decanta e fica com um aspecto coalhado, perdendo completamente sua função.

Logo, quando o veículo for ligado outra vez, as demais peças vão se desgastar com facilidade. Além disso, o óleo tem vida útil e deve ser trocado com regularidade, de acordo com as datas especificadas no manual ou no selo colado no vidro do veículo, considerando a última troca. O prazo médio de troca é de 10 mil quilômetros ou 1 ano, mesmo se o carro estiver inoperante por um tempo. É importante atentar-se ao que diz o manual do fabricante.

Pneus

Se você pensa que o pneu vai continuar conservado pelo fato de não estar rodando, saiba que isso é um engano. Ele vai murchar com o tempo e, devido ao peso do automóvel, começará a deformar sua cinta de metal interna.

Essa parte é a que preserva as dimensões corretas do pneu, portanto, é importante que o carro seja movimentado, mesmo que seja para mudar de posição dentro da própria garagem. A calibragem deve ser feita a cada 15 dias, inclusive no step, de acordo com o manual do fabricante.

Escapamento

Os combustíveis mais utilizados nos carros são o álcool e a gasolina, sendo que ambos apresentam uma porcentagem de água em sua composição. Nesse sentido, quando o sistema de escapamento fica parado, corre-se o risco de o líquido ser depositado no interior das peças, gerando corrosão, como no abafador, no silencioso e no catalisador.

Tanque de combustível

Algo parecido pode ocorrer no tanque de combustível, uma vez que a gasolina, por exemplo, tem um prazo de validade. Isso significa que existe um tempo útil a ser respeitado, de modo que as características químicas do produto não sejam alteradas.

Então, perceba que depois de um período sem uso, o combustível no tanque já vai perder suas qualidades. O problema não é só esse, afinal, surgem impurezas na gasolina que sujam e até entopem o filtro, causando danos à boia e aos bicos injetores no motor.

Bateria

Para otimizar o conforto dos usuários, os carros hoje apresentam uma parte eletrônica maior, fazendo com que haja um consumo de energia elétrica constante. São aparelhos de som, alarme, rastreador, vidros elétricos etc. Essa energia consumida continua enquanto o veículo está parado, por isso, diminui a carga da bateria, fazendo com que você possa ficar na mão ao ligar o carro novamente.

Como amenizar esses impactos?

Depois de conhecer os maiores impactos causados pelo carro parado, está na hora de saber como amenizar tais prejuízos. Acompanhe!

Mantenha a limpeza do veículo

Não deixe o carro abandonado enquanto estiver parado — dê um bom banho nele, limpando o veículo tanto por dentro quanto por fora. Isso evita umidade, mofo e outros contratempos com estofado, carpetes e lataria.

Preserve a pintura

A limpeza já vai colaborar, mas também é importante preservar a pintura do carro, com uma boa cera ou polimento e, claro, uma capa para cobrir o veículo e evitar o acúmulo de poeira e outras sujeiras.

Sistema de arrefecimento – verifique o nível de água do radiador

A água do radiador precisa ser mantida e, assim como a gasolina no tanque, não pode ficar muito tempo parada. No radiador há duas marcas, de nível mínimo e máximo, que devem ser respeitadas. A quantidade de líquido de arrefecimento deve ficar entre as duas marcas.

E, fique atento. Se precisar completar essa água vez por semana, pode ser que haja vazamentos, nesse caso, você pode recorrer a um Centro Automotivo Porto Seguro mais próximo.

Ligue o veículo periodicamente

Para evitar todos os impactos retratados neste artigo, lembre-se de ligar um pouco o carro — como forma de manutenção — nem que seja uma vez por semana, para que o motor esquente e a lubrificação ocorra nos sistemas internos. Se for possível, o melhor é rodar com o automóvel, nem que seja por uns 20 minutos a cada semana ou quinzena – sempre de acordo com a recomendação do fabricante, disponível no manual.

Como a Porto Seguro pode ajudar?

Se você considera manter seu veículo parado por um prazo determinado ou tem o costume de usá-lo apenas em ocasiões esporádicas, a Porto Seguro pode ajudar nos cuidados com o carro.

Então, em qualquer caso de emergência ou para uma simples revisão do carro, você poderá contar com o auxílio do seu seguro auto.

Para uma manutenção profissional, procure uma unidade do Centro Automotivo Porto Seguro.

Clique aqui »