Bônus do seguro: o que preciso saber?

Ninguém quer precisar usar o seguro do carro, não é mesmo? Porque além de evitar passar por um momento desagradável também é possível pagar menos a cada ano. 

Como assim? É isso mesmo. Clientes com apólice sem sinistro durante o período de vigência ganham uma classe de bônus e conseguem desconto para o ano seguinte. 

Mas para obter esse bônus é necessário ainda que não tenha havido transferência de direitos, obrigações ou interrupção do contrato na apólice anterior. A cada ano sem sinistro, uma classe de bônus cresce. De zero para um e assim por diante. 

Neste artigo, vamos te explicar quais são as situações em que você pode perder a classe de bônus e como funciona em caso de transferência para outras pessoas e/ou troca de seguradora ou corretora. Vamos lá?

Desconto ano após ano

O bônus é um indicador de experiência do SEGURADO, expresso em classes (categorias), representado pelo histórico de renovações de cada apólice/item, em função dos sinistros ocorridos, a cada período de um ano de vigência de seguro.

Quando acontece um sinistro durante este ano, é possível descer na classe de bônus, porém, o uso das assistências, como guincho, chaveiro, ou da cobertura de vidros não afetam nessa diminuição.

Funciona assim: 

O segurado começa com um seguro novo, com classe de bônus zero. Na renovação sem sinistro, em até 30 dias após o vencimento, sobe uma classe de bônus. Se a renovação acontecer entre 30 e 60 dias depois do vencimento, permanece a mesma classe. De 60 a 90 dias, perde uma classe, e assim por diante. Por isso, é importante estar atento aos prazos!

Mas além dos sinistros, também é possível descer na classe de bônus se a renovação for feita fora do prazo estipulado pela seguradora, se houver uma ampliação de cobertura ou alteração para determinadas categorias de veículo, mesmo sem sinistro.

As regras de bônus são cumulativas, ou seja, se houver mais de um tipo de alteração devem ser somadas as reduções de classes de bônus. Por exemplo: se houver um sinistro e perda de prazo para renovação, deverão ser reduzidas duas classes de bônus (conforme tabelas de prazos). E isso é igual para todas as seguradoras. Ah! E para descobrir sua classe de bônus, basta procurar na sua apólice.

Transferência do bônus do seguro de carro para outras pessoas

O benefício da classe de bônus é pessoal e não pode ser transferido para outras pessoas, mas existem algumas exceções que permitem essa mudança. 

Esse processo, conhecido como Transferência de Direitos e Obrigações (TDO), é reservado para algumas situações específicas. Entre as possibilidades, encontramos:

De pessoa física para pessoa física: a transferência do bônus poderá ser feita desde que o novo segurado seja o condutor do veículo do segurado da apólice que está sendo renovada, independentemente do vínculo de parentesco com o segurado anterior. Obs.: “condutor” é a pessoa que conduz o veículo do segurado da apólice e não pode ser alterado para terceiros ou para o comprador (em caso de venda do veículo) para utilização do bônus. Nesta situação deve ser realizado um seguro novo.

De pessoa jurídica para pessoa física, ou vice-versa, quando comprovado que o segurado pessoa física é um dos sócios da empresa;

De pessoa jurídica para pessoa jurídica, quando comprovado a mesma composição societária ou acréscimo de sócios (se a composição societária for menor, em comparação ao quadro societário anterior, não haverá aceitação para transferência).

Mudança de carro, seguradora ou corretora: perco minha classe de bônus? 

A classe de bônus é um benefício atrelado ao cliente, mas a alteração para determinados tipos de veículo pode gerar redução na classe de bônus. Se você escolher fazer alguma mudança na renovação, de corretora ou seguradora, pode ficar tranquilo que seu bônus estará preservado.

Já se você trocar de veículo, enquanto o seu seguro ainda está vigente, será necessário realizar um endosso. A seguradora fará uma reavaliação do risco, que poderá gerar ou não, uma diferença de valores, a pagar ou a devolver.

Se você trocar de corretora ou seguradora durante a vigência, será necessário cancelar sua apólice atual. Com isso, pode haver um pagamento ou um reembolso residual, calculado através da Tabela de Prazo Curto. Feito isso, você deverá fazer uma nova contratação de seguro, para trocar sua seguradora ou corretora.

Ficou com alguma dúvida? Lembre-se de conversar com o seu Corretor. Até a próxima e não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais (@portoseguro).