Emprestar maquiagem pode oferecer riscos à saúde.

Como todos sabem, as mulheres adoram ir ao banheiro juntas. Mais que isso: quando estão lá, aproveitam para retocar suas maquiagens. Sabe como é! A amiga tira um batom da necessaire, a outra fica apaixonada pela cor e pronto: elas compartilham o cosmético.

Como todos sabem, as mulheres adoram ir ao banheiro juntas. Mais que isso: quando estão lá, aproveitam para retocar suas maquiagens. Sabe como é! A amiga tira um batom da necessaire, a outra fica apaixonada pela cor e pronto: elas compartilham o cosmético.

Poucas pessoas sabem, mas é muito importante cortar esse hábito. Ele aumenta consideravelmente os riscos de contaminação e comprometimento da saúde. Entre os problemas mais comuns, estão aqueles que afetam principalmente a pele e os olhos. Portanto, atenção: os principais vilões nesse cenário são as esponjas e os pincéis.

Doenças transmitidas ao emprestar a maquiagem:

Foliculite

A Foliculite é uma das doenças que podem facilmente ser transmitidas pelo compartilhamento de maquiagens. Ela é causada por uma bactéria e se apresenta em forma de erupções cutâneas, muito parecidas com as acnes.

Qual a forma de transmissão?

Quando uma mulher com foliculite passar a base no rosto e, em seguida, emprestar a esponja para sua amiga, ela pode transmitir a doença.

Conjuntivite

Outra doença muito comum ao emprestar maquiagem é a Conjuntivite, uma inflamação da membrana mucosa dos olhos (conjuntiva).

Os cosméticos que encostam na borda dos olhos podem acabar levando microrganismos para o globo ocular. Esse processo pode causar Blefarite, que é uma inflamação na base dos cílios, causadora do Calázio – ou Terçol como é popularmente conhecido. “A maquiagem também pode passar quadros virais, como a conjuntivite”, afirma Elisete Crocco.

Os sintomas apresentados são: olhos vermelhos, pálpebras inchadas, coceiras e secreções. Se a mulher usar o lápis de olho, sombra ou delineador e logo após emprestá-los, é possível que ela transmita a infecção viral.

Close up of seductive female mouth. The girl is applying red lipstick on her lips and smiling. Isolated

Herpes

Entre os males que podem ser transmitidos, temos também a Herpes, uma doença infecciosa que se apresenta em forma de lesões nos lábios. As mulheres que dividem o mesmo batom podem sofrer com a aparição dessa doença.

No caso do batom, fala-se bastante do risco de transmissão do Herpes simples, vírus que, na maioria dos casos, causa aquelas “bolhinhas” ao redor da boca. Não é que o vírus fique por muito tempo no batom, mas se a pessoa com a doença passar um batom e emprestá-lo a outra sem a doença, essa segunda pode pegar o vírus.

“O herpes é bastante comum. Há estudos que mostram que 90% da população carrega o vírus do Herpes labial”, afirma a dermatologista Elisete Crocco, coordenadora do Ambulatório de Cosmiatria e Acne da Santa Casa de São Paulo.

Formas de evitar a contaminação:

1 – os produtos devem ser armazenados em um ambiente limpo;

2 – a maquiagem não pode ser guardada com itens que tornam a contaminação mais fácil, como dinheiro e documentos;

3 – na hora de se maquiar, as mulheres devem evitar esponjas, pois elas acumulam bactérias. O ideal é optar pelos pincéis;

4 – para evitar que os pincéis sejam contaminados, devem ser lavados a cada 15 dias com xampu neutro. Importante: a água não pode escorrer para dentro das cerdas. Os itens devem secar na horizontal;
5 – para maquiagens feitas em salão, aconselha-se que as mulheres levem seus próprios pincéis ou até mesmo suas próprias maquiagens.
Referências Bibliográficas:

http://noticias.uol.com.br

http://institutoclovispaiva.com.br/dicas-de-saude

http://www.palpitesparamulheres.com.br

Nome da autora: Carmen Mª Lessa da Silva é analista em Segurança do Trabalho da Bioqualynet (empresa do Grupo Porto Seguro), com formação Técnica em Segurança do Trabalho, estudante do 4º ano de Graduação em Engenharia Ambiental e Membro da ABHO – Associação Brasileira de Higienistas Ocupacionais.