Disfunção da ATM

Você tem dores de cabeça frequentes, dificuldade de abrir a boca ou de comer alimentos duros, pontadas no ouvido ou zumbido, sensação de cansaço na face, estalos na articulação da boca, dores no pescoço, ombro ou nas costas? Se você possui um ou alguns dos sintomas listados, você pode precisar visitar um cirurgião-dentista especialista em articulação têmporomandibular (ATM), a articulação que abre e fecha nossa boca.

As disfunções de ATM são inúmeras alterações ou doenças diferentes, que afetam as articulações da mandíbula e/ou os músculos mastigatórios e cervicais, causando comumente dor e alteração das funções normais da boca, como abrir, fechar, mastigar, falar, engolir, sorrir, etc.

O diagnóstico é importante para separar doenças muito semelhantes, mas que, se não forem identificadas acertadamente, podem implicar em terapias erradas e mais danos ao paciente. Tradicionalmente, o cirurgião bucomaxilofacial, o especialista em dor orofacial, o ortodontista ou o especialista em prótese dental são os dentistas especialistas que entendem dessa área de atuação.

A ATM está localizada na frente do ouvido e pode apresentar complicações com frequência. Cerca de 10% da população possui algum tipo de alteração da ATM durante sua vida. Afeta mais mulheres, após os 25 anos, e tem causa multifatorial, ou seja, muitas pequenas causas juntas que desencadeiam e mantém o problema. Podem ser afetados os músculos da mastigação e do pescoço ou podem ocorrer problemas dentro da articulação, como deslocamentos do disco articular e artrose da ATM, ou ainda esse dois problemas juntos.

Uma das maiores causas de disfunção da ATM é a atividade aumentada dos músculos da mastigação. Esta ocorre com apertamento ou ranger dos dentes por longos períodos, de dia e também dormindo, ou quando o paciente perde dentes ou tem próteses mal adaptadas que sobrecarregam um dos lados da boca.

Young Female Doctor Looking At Dental X-ray On Digital Tablet In Clinic

Dentes tortos também podem agravar o problema inicial. Por isso, merecem atenção do cirurgião-dentista na segunda fase do tratamento. Outra grande causa de dores e disfunção da ATM é o estresse ou a ansiedade, que agravam a atividade muscular. Preste atenção em uma pessoa nervosa. Ela balança freneticamente as pernas ou anda de um lado para outro. Essa atividade muscular facial aumentada, sobrecarrega o sistema mastigatório e causa sua falência, com dor e limitação de funções.

Ao consultar um dos dentistas especialistas, que entendem de ATM, o diagnóstico é simples, por meio somente do exame clínico. Mas, podem ser necessários exames mais complexos como raios-X, tomografias computadorizadas e ressonância magnética, além de avaliações em conjunto com fonoaudiólogos, fisioterapeutas, acupunturistas e até psicólogos. Esse passo é importante para saber ao certo o que se tem. Afinal, não se trata o que não se sabe!

Na maioria das vezes o tratamento é clínico e realizado por um dos especialistas citados. Ele é dividido em duas fases: na fase primária, o intuito é a remissão da dor e melhora das funções básicas da boca. Por isso, pode ser feito um ou mais tipos de terapia associadas: medicações variadas, repouso articular (não forçar o uso), placas de mordida, LASER, estímulos elétricos transcutâneos (TENS), fisioterapias etc. Já a segunda fase visa manter os resultados conseguidos por longo prazo, como troca de próteses mal feitas ou colocação de próteses em quem não tem dentes, ajuste da mordida ou colocação de aparelhos ortodônticos e até aplicação de toxina botulínica nos músculos com excesso de atividade.

Cirurgias na ATM representam cerca de 2% dos casos, mas só devem ser feitas após falha da terapia clínica acima descrita e obrigatoriamente orientadas por um cirurgião bucomaxilofacial.

Quando o diagnóstico é correto e a terapia acertada, é grande a chance de sucesso. Assim, pare de sentir dor e desconforto. Procure um dentista ou clínica especializada no assunto e volte a sorrir!

Autor: Prof. Dr. Marcelo Minharro Ceccheti – CROSP: 57952 – Cirurgião e Traumatologista Bucomaxilofacial.