Segurança do trabalho: informação é aliada na prevenção de acidentes

Você sabia que mais de 320 mil pessoas morrem anualmente como consequência de acidentes no trabalho? Os dados são da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgados em 2013. Ainda, segundo a Previdência Social, em 2015, foram 612.632 acidentes de trabalho no Brasil, uma queda de 14% em relação ao ano anterior.

Apesar da redução nos números, o assunto é sério e a chave para incentivar ainda mais a queda desses índices é a prevenção. É fundamental a conscientização da população sobre a importância da prevenção de doenças, de proporcionar melhores condições de trabalho e reduzir os acidentes e agravo à saúde do trabalhador.

“Evitar acidentes de trabalho não é uma tarefa fácil, visto que estes ocorrem por múltiplas causalidades. Porém, existem formas de instruir os trabalhadores visando à proteção e a redução dos acidentes”, explica o analista em Segurança do Trabalho da Bioqualynet, Yuri Fernandes.

Veja algumas dicas e medidas que podem auxiliar a evitar acidentes nas empresas:

Treinamentos

Os treinamentos são essenciais para conscientizar sobre os possíveis riscos que a atividade exercida apresenta, a necessidade do uso dos equipamentos de proteção, a importância de seguir os procedimentos de trabalho e a necessidade de profissionalização para execução.

Diálogo Diário de Segurança

O Diálogo Diário de Segurança, ou DDS, nada mais é do que uma breve conversa diária entre os trabalhadores sobre questões de segurança.
Essa prática é importante para lembrá-los constantemente sobre as ações que devem ser adotadas para prevenção de acidentes, como uso, conservação, higienização e troca de Equipamentos de Proteção Individual EPI’s, além da orientação sobre o cuidado com o uso dos celulares que pode desprender a atenção do colaborador, entre outros temas que a área de segurança julgar necessário.

Medidas de Proteção

As medidas de proteção têm grande responsabilidade na prevenção dos acidentes de trabalho, colaborando com a integridade física e a saúde dos trabalhadores. Tais medidas envolvem o sistema de Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC’s); Medidas administrativas (ação de alterar ou alternar um colaborador entre setores de trabalho); Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) e outros tipos de controle que protegem o trabalhador, como entrega de protetor solar para funcionários que trabalham no sol, por exemplo.

Monitoramento constante dos trabalhadores

A atenção nas ações dos trabalhadores e o feedback sobre os desvios são muito importantes. “Muitas vezes, os trabalhadores, por executarem uma tarefa há muito tempo, possuem confiança e isso o deixa mais suscetível a acidentes de trabalho”, esclarece o especialista.

As causas dos acidentes de trabalho podem estar relacionadas a uma série de fatores, como negligência na instrução ao trabalhador, falta de conhecimento técnico, atitudes imprudentes, não cumprimento de leis trabalhistas, falta de manutenção ou reposição de maquinários, não utilização de EPI adequado, entre outras.

De acordo com Yuri Fernandes, a ausência de segurança do trabalhador pode provocar diversas perdas à empresa. “Ausência de mão de obra especializada; afastamento do colaborador; sobrecarga de tarefas para os demais funcionários; multas e indenizações, caso ocorra acidentes de trabalho que causem perda ou diminuição da capacidade do trabalhador de exercer seu ofício, são alguns exemplos que as companhias podem enfrentar”, afirma.

Já se as organizações adotarem uma cultura de segurança, as perdas se revertem para benefícios. “A companhia agrega valor à marca no mercado como empresa responsável; potencializa suas vendas; não apresenta problemas com órgãos fiscalizadores e mantém um local de trabalho salubre e seguro para seus funcionários”, complementa Yuri.

Você já participou de treinamentos ou pratica alguma atividade de prevenção a acidentes, como o uso de equipamentos de segurança? Compartilhe o post com seus amigos e ajude na conscientização!