O que é ergonomia e por que você deveria se importar?

No Brasil, a dorsalgia — mais conhecida como dor nas costas — é a principal causa de afastamentos por mais de 15 dias do trabalho. Segundo dados do Ministério do Trabalho, em 2016, foram 116 mil casos, representando quase 5% de todos os afastamentos registrados na época.
Esses dados reforçam a necessidade de as pessoas, em geral, tomarem conhecimento sobre o que é ergonomia e como aplicar suas boas práticas, tanto no trabalho quanto fora dele. Por isso, preparamos este post com dicas de ergonomia e uma apresentação panorâmica da NR-17, norma regulamentadora oficial que regula o tema no contexto profissional.
Continue acompanhando!

O que é ergonomia?

Derivada da união dos termos gregos “ergon” (trabalho) e “nomos” (normas), a palavra ergonomia representa o conjunto de regras e procedimentos que inspiram cuidados com a saúde do profissional, dentro e fora do seu ambiente de trabalho. Essa atenção visa adaptar o trabalho ao homem, de forma que sejam evitadas posturas incorretas e esforços repetitivos e/ou inadequados.

Tais posturas incorretas podem acarretar em problemas posturais, nas articulações e musculares, entre outras. Os principais objetivos da ergonomia são ajustes físicos, organizacionais e psicossociais.

Tanto que algumas ações de saúde, como alongamentos, relaxamentos, ginástica laboral, exercícios físicos e até sessões de massagem fazem parte do conjunto de técnicas preventivas contra os danos causados pela ausência de cuidados ergonômicos.

Quais são os benefícios da ergonomia?

Investir em ações, medidas e estratégias ergonômicas, dentro e fora das empresas, traz benefícios para a manutenção da saúde física e mental das pessoas. Além disso, ela garante bem-estar, o que favorece o aumento da produtividade, da qualidade do trabalho desenvolvido e impacta, até mesmo, o relacionamento interpessoal.

Como a NR-17 auxilia na questão da ergonomia no ambiente de trabalho?

Os riscos inerentes à ausência de comportamentos ergonômicos no ambiente de trabalho motivaram o surgimento da Norma Regulamentadora nº 17. Ela aborda, especificamente, a questão da ergonomia e das boas práticas que devem ser adotadas pelas empresas quanto ao assunto.

A NR-17 traz em si o entendimento de que as condições de trabalho estão relacionadas a:

  • levantamento, transporte e descarga de materiais;
  • mobiliário utilizado pelos profissionais;
  • equipamentos;
  • condições ambientais do posto de trabalho, como iluminação e ventilação;
  • organização do trabalho.

Essa regulamentação oficial, promulgada originalmente no Diário Oficial da União (DOU), em 1978, veio estabelecer parâmetros para que as características físicas e psicológicas dos trabalhadores fossem preservadas. Assim, elas influenciam positivamente seu conforto, segurança e eficiência operacional.

Entre as principais regras da NR-17, vale destacar:

  • cadeira de trabalho confortável e adaptada às necessidades do trabalhador;
  • apoio para os pés, caso eles não fiquem bem acomodados;
  • planejamento de trabalhos manuais realizados em pé ou sentado, com o uso de móveis que favoreçam a boa postura, a operação e a visualização do profissional;
  • altura e tipo de superfície compatíveis com a atividade realizada;
  • distância adequada entre os olhos e o campo de trabalho;
  • altura do assento adequada à do móvel e distância necessária para preservar os olhos;
  • características dos móveis que possibilitem ao trabalhador estar bem posicionado para que possa se movimentar facilmente.

Qual é o impacto da ergonomia no seu cotidiano?

Tão importante quanto saber o que é ergonomia é obter ideias de como exercer seus cuidados no dia a dia. Embora , por definição, esteja associada ao trabalho, suas boas práticas podem ser aplicadas em vários lugares, como em casa, na escola, no veículo, na academia, ou em qualquer lugar com o devido espaço e conforto.

Sendo assim, confira algumas dicas de ergonomia para esses ambientes.

Tarefas domésticas

  • ao lavar louça na pia ou ao passar roupa em tábuas de passar, vale a pena ter à disposição um banquinho para que os pés possam ser apoiados alternadamente;
  • ao cozinhar, por exemplo, é importante que o recinto esteja organizado de modo que os utensílios fiquem sempre à mão, evitando, assim, torcer o tronco para apanhar objetos;
  • Ao agachar, por qualquer motivo, a coluna deve permanecer ereta, e apenas os joelhos devem ser flexionados;
  • se for agachar para pegar peso, ao se levantar, o abdômen deve ser enrijecido, de modo que a musculatura abdominal proteja a coluna contra esforços excessivos.

Sala de aula

  • é recomendado que o peso da mochila não ultrapasse 10% do peso da pessoa que a transporta;
  • igualmente, as alças da mochila devem estar sempre sobre os dois ombros, e não sobre apenas um, ainda que haja revezamento entre ambos;
  • ao usar carrinhos para transporte de mochila, o cuidado principal consiste em não torcer o tronco para puxar o carrinho, mas apenas estender o braço;
  • O tamanho das mesas e cadeiras deve ser coerente com o tamanho dos alunos, e não apenas com a idade deles.

Veículo

  • os ombros do motorista, ao dirigir, devem ficar relaxados e sempre na mesma altura;
  • a angulação entre coxas e coluna deve ser pouco mais de 90 graus — entre panturrilhas e coxas também;
  • a coluna deve permanecer ereta durante a direção, e a cabeça sempre alinhada ao quadril;
  • o apoio da região lombar deve ser feito precisamente no assento de veículo, preservando, assim, a inclinação natural da coluna.

Qual a importância da ergonomia no ambiente de trabalho?

A competitividade das empresas no mercado está diretamente associada à produtividade delas. Entregar mais resultados, em menos tempo e com custo inferior, é o grande desafio de todas as organizações.

Portanto, a presença de cuidados com a ergonomia dos funcionários ganha destaque como um forte diferencial competitivo. Veja alguns motivos:

  • redução dos índices de acidentes;
  • diminuição dos gastos com saúde;
  • aumento da produtividade;
  • melhoria na qualidade do trabalho;
  • diminuição do absenteísmo.

Por isso, empresas de todos os portes têm dado cada vez mais atenção a esse assunto, fator que tem influenciado, inclusive, o aquecimento do mercado de produtos ergonômicos. No dia a dia de uma empresa, independentemente do ramo de atuação dela, todos estão sujeitos a riscos de ordem física, que podem ser eliminados pela ergonomia. Veja exemplos.

Escritório

  • a melhor posição para o monitor é à altura dos olhos, pois, desse modo, evita-se o excesso de movimentos verticais da coluna cervical;
  • a iluminação do monitor deve ser baixa, porém, regulada para não exigir muito esforço das vistas;
  • é importante, também, que a altura das cadeiras seja regulável, para que a melhor postura seja alcançada, isto é, coluna ereta, de 90 a 110 graus em relação às coxas, e planta dos pés apoiada plenamente sobre o chão — ou, para aqueles que não alcançam o chão, se possível, sobre o apoio para os pés;
  • mesas muito largas ou compridas podem ser substituídas por menores e menos profundas, para que não haja necessidade de esticar o corpo com frequência;
  • a altura do teclado e do mouse deve ser a mesma dos cotovelos, para não sobrecarregar os tendões dos braços.

Home office

A modalidade de trabalho em home office vem ganhando espaço nos últimos anos, especialmente, neste ano, em que ganhou diversos novos adeptos em razão das mudanças na nossa rotina relacionadas ao surgimento da Covid-19. Via de regra, em termos de trabalho remoto, a dica é manter as mesmas orientações que são seguidas no escritório. Ou seja:

  • posição adequada do monitor em relação à altura dos olhos e posicionamento da cabeça;
  • iluminação adequada, tanto do monitor quanto do ambiente, evitando danos aos olhos;
  • altura das cadeiras regulável e, caso necessário, uso de apoio para os pés;
  • altura do teclado e do mouse deve ser a mesma dos cotovelos, para não sobrecarregar os tendões dos braços.

Se você tem dúvidas a respeito da adaptação do seu espaço, vale a pena consultar um profissional especializado para que ele ajude na organização do seu escritório em casa.

Fábrica

  • se possível, a postura deve ser alternada ao longo da jornada — em pé e sentado, e vice-versa;
  • iluminação dos postos de trabalho deve ser satisfatória e suficiente para atender a todas as demandas da função;
  • deve ser evitada a realização de tarefas por muitas horas com o mesmo padrão de movimento. Se isso não for possível, pausas frequentes precisam ser feitas para relaxamento da musculatura;
  • O caminho de acesso a cargas que precisam ser levantadas e transportadas manualmente tem que permanecer desobstruído, a fim de se evitar tropeções ou escorregões.

Como você pode ver, a ergonomia é um assunto importante e que gera impactos na saúde física e mental do trabalhador. Além de garantir o cuidado com a saúde, ela impacta diretamente a produtividade e a qualidade de vida no ambiente de trabalho.

A legislação brasileira traz regras específicas sobre o assunto, sendo a NR-17 a principal norma regulamentadora e orientadora a ser considerada pelos empresários. Em caso de dúvidas, é importante considerar a contratação de um ergonomista, especialista no assunto e que poderá oferecer não só o suporte mais adequado, como realizar a avaliação ergonômica do trabalho para correção e adaptação quando necessários. .

Um ambiente ergonomicamente adequado, seja no trabalho, seja em casa, no carro e, até mesmo, no home office, garante uma vida mais saudável, reduz os gastos com saúde e aumenta a sua qualidade de vida.

Você gostou deste artigo sobre o que é ergonomia e os seus benefícios? Então, aproveite para conferir este post completo sobre como a segurança de trabalho é uma aliada na prevenção de acidentes e garanta o melhor desempenho e cuidado com os seus trabalhadores.